sexta-feira, 25 de novembro de 2016

We will always have... qualquer coisa.

Portanto, duas semanas da treta depois e três frequências já feitas... que correram mal e porcamente.
(Quanto mais estudo pior são os meus resultados... que ironia). 
Mais virão... e se correr tudo mal... ainda há a esperança dos exames finais...
Quanto à minha vida amorosa, neste momento sinto-me do género: "QUE NADA ME CHEGUE AO PÉ". Vocês ainda ficam a pensar que preciso é de uma queca. Mas eu já dei tantas que agora preciso é de me focar noutras coisas. Como os estudo por exemplo. Para depois me correr mal na mesma e foder-me de uma forma "diferente".
Peço desculpa pelo palavreado. Mas há dias que tem que sair. Seja a berrar ou a escrever. 



Abraços mas "cuidado" com os espinhos.





P.s. As vossas preces foram para que eu me "fodesse". 
Desejo-vos o mesmo mas literalmente, haja alguém que aproveite ao menos.

P.s2. Isto do blogger mudou enquanto estive "fora". Mas acho que ficou pior... 

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Em repeat.

Não sei o que pensar quanto ao que fiz ontem. 

(Façam figas para as minhas próximas frequências. 
Ou acedam uma velinha se forem religiosos... eu não me importo). 



terça-feira, 15 de novembro de 2016

Desabafo [Está quase...]


Só para dizer que ando sem tempo nenhum (até para dormir).
 Com as 3 frequências que tenho em 8 dias, e dois trabalhos para entregar... 
Os dias bem que podiam ter 72 horas... e mais 42 horas à noite.
Que saudades que eu tinha disto... (nem por isso...).



P.s. Volto em breve para vos acompanhar aí do vosso lado!

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Fantasmas.

Não sei se acredito em fantasmas, mas que existem por cá muitos blogs à deriva e sem continuação isso sim...




O que se passou? 
Eu sei que os tempos mudam e as pessoas também, mas pensei vir a encontrar mais pessoas nesta esfera social. Fico com pena, e resta-me aguardar que apareçam mais no futuro. 
Mas também quem sou eu para falar... Ainda agora só comecei, e sei que por vezes não vou ter tempo e ou paciência para estar por cá.
Enquanto isso, vou seguindo as poucas pessoas que me despertam interesse e a continuar a dar vos aquilo que preciso deitar cá para fora, seja em coisas mais sérias ou apenas parvoíces.


Abraços sem espinhos!




#Repeat



Há uns dias que voltei a ficar com esta música na cabeça em repeat.
O que fazia eu sem música... 


quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Portanto....isto aconteceu.


Como muitos fui-me deitar à espera de que isto nunca acontecesse.
Foda-s*! Escondam os códigos nucleares!
Boa sorte... Temos até Janeiro para nos prepararmos para o que aí vem...




terça-feira, 8 de novembro de 2016

About me and him.

Falta menos de um mês para fazermos 5 anos (que parecem muito mais) de namoro.
Não sei bem o que dizer em relação a isto. Sinto que estou meio a caminho de perceber quem sou, e o que interferiu tudo connosco (em 5 anos aconteceu demasiadas coisas, como é normal numa relação). 

Faço-vos um breve resumo:

- Fui morar com ele após o conhecer em apenas ao fim de um mês, aos 22 (nada precipitado da minha parte...).
- Ao fim de 6 meses o pai dele suicidou-se e nós que já estávamos meio abalados após a paixão inicial e a começar-mos a conhecer-nos melhor separamo-nos e eu fui morar sozinho algum tempo depois. 
- Ele saiu de Lisboa, 3 meses depois do que tinha acontecido e foi morar com a mãe dele (algures numa terrinha alentejana).
- Eu perdido ainda de amores por ele, esperei o Verão inteiro para me voltar a aproximar dele.
-  No dia de Halloween, aproximámos-nos e voltamos a estar juntos, mas esporadicamente, ou eu ia lá ou ele vinha cá (vindo ele muitas mais vezes sempre).
- No inicio do verão a seguir, tivemos uma grande discussão e resolvi acabar as coisas com ele. 3 meses depois dei-lhe uma oportunidade pelo que ele tinha decidido fazer. Tinha decidido voltar a estudar.
- Ele resolveu voltar para Lisboa (para voltar a estudar). Em meados de Setembro eu nessa altura já tinha entrado na faculdade e comecei o curso nesse ano (que ainda estou a tirar...).
- Mudei de casa e fomos morar para uma casa fantástica em Alcântara com vista para o rio.
- 3 meses depois ele dormia na sala e eu no quarto...
- Algumas semanas depois reatamos a coisa e voltamos a dormir no mesmo quarto...
- Meses depois ele tem um acidente de carro e volta para a terrinha no Alentejo, e vai morar com a mãe.
- Mudo de casa novamente mas desta vez fui com ele e fui estudar para Portalegre.
- Não fiz cadeira nenhuma nesse ano e odiei o facto de talvez me ter arrependido só por querer estar com ele. 
- Em Junho do ano passado voltei para Lisboa e para a faculdade onde tinha estado a estudar e as coisas correram muito melhores. 
- Voltamos a estar juntos esporadicamente por não morarmos nem juntos nem muito perto um do outro...
- Há dois meses fizemos uma viagem pela Europa durante um mês... e nunca me tinha sabido tão bem estar com ele. 
E hoje sinto-me novamente como se eu tivesse uma vida e ele outra. Falamos ao telefone 2 a 3 vezes por dia mas fica sempre aquele gosto amargo de querer falar mais com ele mas nada sai. Nem da minha parte nem dele. É uma rotina apenas. E de duas a duas semanas ele vem a Lisboa e passamos o fim de semana juntos como é habitual.

Por um lado ele faz parte de mim e eu dele e cresci enquanto pessoa com ele. Mas sinto por vezes que não o faço feliz como eu gostaria e ele em relação a mim a mesma coisa... Não sei se sofro do mal de querer sempre o melhor para mim pois não o aplico à seria, e o resultado é sempre eu afastar-me e querer começar de novo de alguma maneira...

Ou se calhar é melhor é ir tentar dormir. E amanhã é outro dia. 

Durmam bem!